sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Fast Patch ou Slow Patch ?


Quando pesquiso e leio sobre a origem das técnicas tradicionais do patchwork, conheço um pouco da história da vida de mulheres que viveram noutro tempo, em que se tinha mais tempo (ou não, pois a vida era mais dura com elas!!) para saborear estes momentos com o fazer artesanal, eu alimento minha alma!! 

Mas não alimento de qualquer forma, rápida e sem sabor, como lanches que se engole numa só bocada. Prefiro desfrutar do sabor da história, do aroma da técnica mais elaborada cujos temperos são sutis como pequenos e delicados pontos feitos à mão...

É por isto que me identifico tanto com a técnica do Appliqué. Quando se pára pra fazer um appliqué original, à mão, na vira d'agulha, cria-se intimidade com o tecido. Pelo menos eu sinto como se o tecido fosse uma extensão de minhas mãos, como se fosse parte de minha pele, parte de mim.

Alguns podem dizer: "é demorado demais fazer vira d'agulha, não temos tempo para tal!". Mas creio ser necessário desacelerar e dar a nós mesmas o tempo de presente. Afinal o tempo é um presente, algo precioso que se recebe a cada instante e deve ser desfrutado da melhor maneira. E ele só se torna real se for presente e não passado ou futuro. 

A minha maneira de desacelerar é fazendo patchwork. E gosto de criar projetos elaborados, que demandem tempo, ou seja, envolvimento meu naquilo. Assim vou me conhecendo, ou me reconhecendo no que faço. 

E então? Sua próxima refeição será de Fast Patch ou Slow Patch??



Abaixo alguns projetos criados e executados por mim, que me deram o prazer de desfrutar da companhia de mim mesma!!














2 comentários:

  1. Lindas Palavras Bia!! Continue assim, precisamos de voce!! MARAVILHOSOS TRABALHOS!! bJS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Denise! Nossa conversa que me inspirou! Bjs!

      Excluir